Está aqui

Inquérito à Situação Financeira das Famílias

Inquérito à Situação Financeira das Famílias

O Banco de Portugal e o Instituto Nacional de Estatística realizam o Inquérito à Situação Financeira das Famílias (ISFF), a única fonte de informação em Portugal que permite caraterizar detalhadamente a distribuição da riqueza e da dívida das famílias residentes no país.

 

Principais resultados do ISFF 2017

 

Algumas questões que o ISFF permite responder

Sobre o ISFF

O Inquérito à Situação Financeira das Famílias (ISFF) recolhe informação detalhada sobre a riqueza, as dívidas e os rendimentos das famílias residentes em Portugal, com base numa amostra representativa. Este inquérito recolhe também informação sobre aspetos demográficos e sociais, sobre consumo e poupança e ainda sobre comportamentos, designadamente atitudes e expetativas.

A implementação do ISFF é da responsabilidade do Banco de Portugal e do Instituto Nacional de Estatística. A primeira edição foi conduzida em 2010, a segunda em 2013 e a terceira em 2017. A quarta edição terá lugar em 2020.

O ISFF faz parte do projeto europeu Household Finance and Consumption Survey (HFCS) que produz informação comparável para os países da área do euro. O HFCS é desenvolvido pelo grupo de trabalho Household Finance and Consumption Network (HFCN), coordenado pelo Banco Central Europeu.

O HFCS surgiu da necessidade de os bancos centrais do Eurosistema disporem de informação de natureza microeconómica sobre as famílias para a realização de estudos relevantes para a condução da política monetária e manutenção da estabilidade financeira na área do euro. Embora alguns países, entre os quais Portugal, já recolhessem este tipo de dados, as diferenças de conteúdo, de metodologia e de frequência dos inquéritos nacionais dificultavam as comparações e praticamente impossibilitavam a obtenção de variáveis agregadas para a área do euro.

O ISFF é a única fonte de informação em Portugal que permite caraterizar detalhadamente a distribuição dos ativos reais, dos ativos financeiros e das dívidas das famílias, de acordo com dimensões como a idade, o nível de escolaridade, a situação no mercado de trabalho e o rendimento da família. Estes dados são úteis para avaliar o impacto de alterações nos determinantes do consumo, da poupança, do investimento e do endividamento das famílias. Em particular, a análise do comportamento de diferentes subgrupos da população é essencial para melhorar a compreensão destes fenómenos.

Resultados e publicações

Resultados

As notas de destaque do ISFF podem ser consultadas aqui: 2010, 2013 e 2017.

As tabelas com os principais resultados podem ser obtidas aqui: 2010, 2013 e 2017.

Os resultados das edições de 2013 e 2010 são analisados com maior detalhe, respetivamente, nos estudos Situação financeira das famílias em Portugal: uma análise com base nos dados do ISFF 2013 e Inquérito à Situação Financeira das Famílias: Metodologia e Principais Resultados

Os resultados para os países que fazem parte do Household Finance and Consumption Survey (HFCS) são divulgados no site do Banco Central Europeu. Em cada edição, são publicados um relatório de análise dos resultados para a área do euro, um relatório metodológico e um conjunto de tabelas com os principais resultados para todos os países.

 

Publicações

O Banco de Portugal divulga estudos e outras análises de diversa natureza que têm por base o ISFF. Em particular, os dados têm sido utilizados em análises que ajudam à compreensão dos comportamentos económicos individuais e da evolução de variáveis agregadas, nomeadamente em matéria de consumo, poupança, investimento e financiamento. Estes dados são cruciais para avaliar o impacto de choques, de políticas e de alterações institucionais sobre estas variáveis. A informação sobre o comportamento de subgrupos da população é, igualmente, essencial para a melhoria desta avaliação.

 

 

Os estudos publicados pelo Banco Central Europeu podem ser consultados na página da HFCN, selecionando HFCN publications.

Uma lista de outros estudos que utilizam os dados do HFCS de vários países podem ser consultados aqui.

Questionário e outros aspetos metodológicos

Questionário

O questionário do ISFF baseia-se num modelo acordado pelo grupo de trabalho europeu Household Finance and Consumption Network (HFCN)

Em linha com o modelo harmonizado, o questionário do ISFF inclui uma entrevista principal sobre a situação financeira da família, e três conjuntos adicionais de perguntas. Antes da entrevista principal, existe um conjunto de questões que se destinam essencialmente a verificar que o alojamento selecionado é uma residência principal, a definir o agregado familiar relevante e a identificar o principal respondente, ou seja, o indivíduo que melhor conhece a situação financeira da família. No final da entrevista, o questionário inclui algumas perguntas que visam avaliar a perceção do entrevistado sobre o inquérito. Inclui, ainda, uma série de questões dirigidas ao entrevistador sobre a sua perceção relativamente à entrevista, sobre a atitude do entrevistado e sobre as caraterísticas gerais do alojamento.

A unidade de referência principal do ISFF é a família. Deste modo, a maior parte das perguntas da entrevista principal referem-se à família como um todo, devendo ser respondidas pela pessoa que melhor conhece a situação financeira da mesma. Existem também perguntas que se referem especificamente aos indivíduos que compõem a família e que, de preferência, devem ser respondidas pelos próprios se tiverem 16 anos ou mais.

O período de referência para as perguntas sobre ativos e dívidas é o momento da entrevista, no caso do rendimento é o ano civil anterior à entrevista e no caso do consumo é o mês típico, considerando os 12 meses anteriores à realização da entrevista.

O diagrama seguinte apresenta, em traços gerais, a sequência da entrevista principal e o conteúdo das diversas secções temáticas:

Os questionários das diferentes edições do ISFF podem ser consultados aqui: 2010, 2013 e 2017.

 

Outros aspetos metodológicos

O inquérito realizado nos vários países segue um conjunto de princípios metodológicos, baseados nas melhores práticas internacionais, acordados pela HFCN. O objetivo é obter dados de elevada qualidade e harmonizados entre os países. Os princípios metodológicos seguidos no ISFF abrangem vários aspetos da implementação do inquérito, nomeadamente a seleção da amostra, a realização das entrevistas ou o tratamento posterior dos dados.

Na seleção da amostra, procura-se que estejam sobrerrepresentadas as famílias dos escalões superiores da riqueza. Como a riqueza tem uma distribuição muito assimétrica, ou seja, a maior parte da riqueza é detida por uma percentagem muito pequena da população, a correta caraterização da riqueza das famílias não pode basear-se numa amostra assente apenas em critérios geográficos, como é habitual nos inquéritos às famílias sobre outras temáticas.

No ISFF, a amostra selecionada é composta por 8000 alojamentos. Os dados finais relativos a entrevistas conseguidas englobam na primeira, segunda e terceira edições, respetivamente, 4404 famílias (11 126 indivíduos), 6207 famílias (16 513 indivíduos) e 5924 famílias (15 079 indivíduos).

Dada a complexidade do questionário, as entrevistas são realizadas pessoalmente, por entrevistadores qualificados. A maioria dos entrevistadores colabora, regularmente, com o Instituto Nacional de Estatística em outros inquéritos às famílias e frequenta sessões informativas sobre o ISFF. A entrevista é assistida por computador, utilizando um programa informático especificamente desenhado para este inquérito. O programa inclui testes de consistência e de plausibilidade das respostas, os quais ajudam a evitar possíveis erros na condução da entrevista.

Finalizadas as entrevistas a informação é sujeita a um processo de tratamento de dados. Numa primeira fase, de edição, a informação é analisada quanto à sua coerência e plausibilidade. Adicionalmente, é efetuado o tratamento das respostas em falta, cuja origem se deve sobretudo ao facto de os entrevistados poderem dizer que não sabem ou não desejam responder. Nesta fase, de imputação, as respostas em falta na maior parte das variáveis do ISFF são preenchidas com valores estimados, a partir da informação recolhida, utilizando um método estocástico de imputação múltipla. Este método, aplicado no ISFF, encontra-se descrito em detalhe em Martins (2019),(apenas em inglês).

Finalmente, os dados do ISFF são sujeitos a um processo de anonimização que assegura que as famílias ou os indivíduos participantes no inquérito não podem ser identificados a partir das respostas dadas. Neste processo, variáveis que podem ter valores extremos muito pouco frequentes, como por exemplo a idade, são truncadas num valor máximo. Outro exemplo é o arredondamento, que é feito com base num procedimento aleatório, dos valores das variáveis monetárias contínuas. Nas variáveis categóricas, com categorias pouco frequentes, procede-se à agregação de algumas destas.

Uma descrição mais detalhada dos diferentes aspetos metodológicos do ISFF pode ser consultada aqui

Base de dados do ISFF


Acesso aos dados

As bases de dados anonimizadas do ISFF para Portugal e do Household Finance and Consumption Survey (HFCS) para todos os países participantes, incluindo Portugal, podem ser disponibilizadas a investigadores com afiliação numa universidade ou num centro de investigação. Em qualquer dos casos, os dados são disponibilizados gratuitamente, mediante o cumprimento de determinadas condições, as quais visam garantir que esses dados são utilizados exclusivamente para fins científicos e com respeito pela confidencialidade da informação.


Os investigadores interessados nos dados de Portugal:

  • Devem dirigir-se ao Instituto Nacional de Estatística e iniciar o processo com um pedido de acreditação de investigador para acesso a dados estatísticos para fins de investigação científica dirigido à Direção-Geral de Estatísticas da Educação e Ciência. A descrição do processo pode ser consultada no site do Instituto Nacional de Estatística.

 
Os investigadores interessados nos dados de todos os países participantes, incluindo Portugal:

  • Devem dirigir-se ao Banco Central Europeu e enviar, por correio eletrónico, um formulário preenchido juntamente com o respetivo curriculum vitae. O formulário e a descrição do processo podem ser consultados no site do Banco Central Europeu.

 

Caraterísticas da base de dados

A base de dados do ISFF é constituída pelos seguintes tipos de variáveis: variáveis do questionário, variáveis sombra (flags), ponderador da amostra final e réplicas do ponderador.

As variáveis do questionário incluem variáveis que se referem à família no seu conjunto e variáveis relativas aos indivíduos que fazem parte da família. Estas variáveis podem ser agrupadas em três tipos: variáveis nucleares (core, na designação em inglês), variáveis não nucleares (non-core, na designação em inglês) e variáveis nacionais. As variáveis nucleares têm uma definição harmonizada com as variáveis do HFCS e existem também para os outros países que fazem parte deste projeto. As não nucleares têm, igualmente, uma definição harmonizada com as variáveis do HFCS, mas são opcionais, existindo apenas para os países que optaram pela sua inclusão. As variáveis nacionais são definidas a nível nacional. As variáveis nucleares e não nucleares do ISFF estão disponíveis nas bases de dados do Instituto Nacional de Estatística e do Banco Central Europeu. As variáveis nacionais do ISFF estão disponíveis apenas na base de dados do Instituto Nacional de Estatística. A maioria das variáveis da base de dados do ISFF, nomeadamente as que compõem o balanço das famílias (ativos e dívidas) e o fluxo de fundos (rendimento e consumo), são variáveis nucleares. A listagem das variáveis das várias edições do ISFF pode ser consultada aqui: 2010, 2013 e 2017.

Na base de dados do ISFF não existem valores em falta na maior parte das variáveis do questionário e, em particular, nas que permitem calcular a riqueza, o rendimento ou o consumo. Em caso de não resposta, estas variáveis foram imputadas com um método que origina cinco estimativas alternativas para os valores em falta, que devem ser utilizadas em conjunto para que se leve em conta a incerteza associada ao processo de imputação.

As variáveis do questionário têm associadas variáveis sombra (flags), cujo valor indica a origem do respetivo conteúdo (por exemplo, se foi recolhida diretamente da família, se foi imputada, se não foi respondida por não se aplicar). Os códigos das variáveis sombra podem ser consultados aqui: 2010, 2013 e 2017.

O ponderador da amostra final corresponde ao número de famílias residentes em Portugal com caraterísticas semelhantes às de cada família da base de dados. Esta variável reflete as diferentes probabilidades de as famílias fazerem parte da base de dados e tem de ser usada no cálculo de estatísticas referentes ao conjunto das famílias residentes em Portugal (por exemplo, totais, médias, proporções).

As réplicas do ponderador correspondem a 1000 conjuntos alternativos de ponderadores da amostra final que, no cálculo da variância total de uma determinada estatística, permitem ter em conta a incerteza decorrente da seleção da amostra.

Informação detalhada sobre a organização da base de dados do ISFF e sobre a forma de utilização dos dados pode ser consultada aqui.

 

Informação às famílias participantes

O Inquérito à Situação Financeira das Famílias (ISFF) corresponde à versão portuguesa de um inquérito que se realiza, em simultâneo, em todos os países da área do euro. Este inquérito teve já três edições, realizadas em 2010, 2013 e 2017. Na segunda edição, última em que existe informação para todos os países, cerca de 75 mil famílias residentes em 18 países da área do euro (todos, exceto a Lituânia) responderam ao inquérito, das quais cerca de 6 200 eram famílias residentes em Portugal.

As famílias participantes são, em Portugal, selecionadas aleatoriamente a partir dos dados dos censos, através de um procedimento científico rigoroso. Cada família da amostra representa um conjunto de famílias com caraterísticas semelhantes na população. Assim, a participação de cada família selecionada e a exatidão das suas respostas são fundamentais para se poder traçar um retrato rigoroso da situação financeira de todos os tipos de famílias em Portugal.

Os dados são recolhidos informaticamente através de entrevistas realizadas pessoalmente por entrevistadores que colaboram com o Instituto Nacional de Estatística.

Antes da realização da entrevista, as famílias selecionadas para participar no ISFF recebem, por correio postal, uma carta e um folheto informativo sobre o inquérito. O folheto do ISFF de 2017 pode ser consultado aqui.

Os dados recolhidos são sujeitos a um processo de anonimização que impossibilita a identificação direta ou indireta das famílias e dos respetivos membros. Estes dados são exclusivamente utilizados no apuramento de indicadores estatísticos agregados e na elaboração de estudos económicos sobre diversos aspetos que influenciam a vida das famílias, nomeadamente as decisões e reações a choques com impacto na sua situação financeira. Estes dados são também utilizados para efetuar comparações entre países da área do euro.

 

Neste momento não existem entrevistas do ISFF a decorrer.

 

Tags