Está aqui

Consolidação orçamental numa pequena economia da área do euro

Ano de Divulgação 
2011
Resumo 
Este artigo aborda os custos e benefícios de uma consolidação orçamental numa pequena economia da área do euro. Os impactos macroeconómicos e a análise de bem-estar apresentados são elaborados no contexto de um modelo de equilíbrio geral Neo-Keynesiano com agentes não-Ricardianos. Considera-se uma estratégia de consolidação orçamental de referência que assenta numa redução permanente das despesas do Estado. Os resultados apontam para que no longo prazo a consolidação orçamental conduza a um aumento considerável nos níveis de rendimento e consumo privados, conduzindo a um aumento do bem-estar. Adicionalmente, os ganhos são ampliados por uma estratégia orçamental que envolva também uma reforma fiscal destinada a reduzir a carga fiscal sobre os rendimentos do trabalho, por contrapartida de um aumento da tributação sobre o consumo das famílias. Contudo, uma tal reforma é suscetível de implicar custos importantes no curto prazo, nomeadamente pela redução do rendimento, do consumo e do bem-estar. Por fim, avalia-se o efeito de estratégias de consolidação orçamental alternativas em termos do perfil intertemporal, da velocidade do ajustamento e da interação com o prémio de risco da economia.
Link para documento 
Tags