Está aqui

Economia numa imagem

Economia numa imagem

A dívida das empresas em situação de vulnerabilidade financeira aumentará com a crise pandémica, mas ficará abaixo da observada na crise da dívida soberana

12.02.2021

Economia numa imagem: A dívida das empresas em situação de vulnerabilidade financeira aumentará com a crise pandémica, mas ficará abaixo da observada na crise da dívida soberana

O choque económico associado à pandemia da COVID-19 condiciona fortemente a capacidade de geração de resultados das empresas portuguesas, contribuindo para o aumento da sua vulnerabilidade financeira. Este estado pode ser definido pela existência de resultados operacionais que não superam em pelo menos duas vezes o montante de juros suportados pela empresa.

Com esta definição, estima-se um aumento de 9 p.p. da dívida associada a empresas em vulnerabilidade financeira em 2020, atingindo 31% do total da dívida das empresas portuguesas. Para 2021 e 2022, estima-se uma diminuição da dívida associada às empresas mais vulneráveis que será tanto menor quanto maior for a intensidade e a duração do choque económico. 

A proporção de dívida financeira associada a empresas em vulnerabilidade deverá, no entanto, ficar aquém dos valores máximos observados no contexto da crise da dívida soberana. A maior resiliência das empresas portuguesas no contexto atual resulta de uma melhoria dos resultados operacionais e da diminuição dos juros suportados no período que precedeu a crise pandémica. Os setores de atividade para os quais são estimados maiores aumentos dos níveis de vulnerabilidade são a indústria transformadora, o comércio e o alojamento e restauração.

 

Para mais detalhes ver Francisco Augusto e Márcio Mateus (2021) “A vulnerabilidade financeira e a dívida em excesso das empresas em Portugal: uma aplicação ao choque COVID-19”, publicado na Revista de Estudos Económicos do Banco de Portugal, vol. VII, n.º 1.

 

Elaborado por Francisco Augusto e Márcio Mateus. As análises, opiniões e resultados expressos neste espaço são da exclusiva responsabilidade dos autores e não coincidem necessariamente com os do Banco de Portugal ou do Eurosistema.

 

Se desejar receber um e-mail quando for publicado um novo “Economia numa imagem” envie o seu pedido para info@bportugal.pt