Está aqui

Economia numa imagem

Economia numa imagem

Metade das empresas beneficiam atualmente das medidas de apoio públicas decorrentes da pandemia

04.12.2020

Empresas beneficiárias de pelo menos uma das medidas públicas de apoio públicas

A pandemia COVID-19 e as medidas de contenção necessárias ao seu controlo têm afetado a atividade económica de forma severa. De modo a mitigar o impacto negativo sobre as empresas, o Governo anunciou um conjunto de medidas de apoio, entre elas: (i) o apoio à retoma progressiva/ Layoff simplificado, (ii) o incentivo extraordinário à normalização da atividade económica, (iii) a moratória ao pagamento de juros e capital de créditos já existentes, (iv) o acesso a novos créditos com juros bonificados ou garantias do Estado e (v) a suspensão do pagamento de obrigações fiscais e contributivas.  

De acordo com os resultados da edição pontual de novembro do inquérito COVID-IREE, 50% das empresas respondentes beneficiam atualmente de pelo menos uma destas medidas. Esta proporção é ligeiramente superior nas empresas de pequena e média dimensão. A percentagem de empresas beneficiárias varia consoante a medida, situando-se entre 18%, no caso do apoio à retoma progressiva/ Layoff simplificado, e 29% no caso da moratória a créditos já existentes. Esta situação é transversal aos setores de atividade, excluindo o Alojamento e restauração. Neste setor, a proporção de empresas beneficiárias atinge os 81%, com destaque para o recurso ao apoio à retoma progressiva/ Layoff simplificado (57%). Este tem sido um dos setores mais afetado pela pandemia refletindo o impacto das medidas de distanciamento social e a quebra do turismo.

Para mais detalhes consultar o Inquérito Rápido e Excecional às Empresas – COVID-19, Novembro de 2020, disponível nos sites do Banco de Portugal e do INE.

Preparado por Ana Sequeira e Cristina Manteu. As análises, opiniões e resultados expressos neste espaço são da exclusiva responsabilidade das autoras e não coincidem necessariamente com os do Banco de Portugal ou do Eurosistema.