Está aqui

Economia numa imagem

Economia numa imagem

Considerar a perda dado o incumprimento (LGD) como invariante face às condições macroeconómicas pode subestimar as perdas de crédito 

24.07.2020

Economia numa imagem: Considerar a perda dado o incumprimento (LGD) como invariante face às condições macroeconómicas pode subestimar as perdas de crédito

A possibilidade de materialização de uma perda de crédito está relacionada com a probabilidade de incumprimento do mutuário (PD), enquanto a gravidade dessa perda no caso de incumprimento é caracterizada pela perda dado o incumprimento (LGD). A evidência empírica mostra uma relação positiva entre as taxas de incumprimento e as perdas dado o incumprimento. Em momentos de deterioração da atividade económica os incumprimentos ocorrem com maior frequência, o valor dos ativos diminui e as taxas de recuperação tendem a ser menores. 

Com base num exercício conceptual que integra a relação entre PD e LGD na carteira de empréstimos a empresas dos bancos portugueses é possível avaliar em que medida o risco de crédito pode ser subestimado ao considerar a LGD invariante e qual o incremento (add-on) necessário na LGD que reflita condições económicas adversas. Os resultados sugerem que, exceto para valores muito elevados, considerar a LGD invariante leva a uma subestimação significativa do risco de crédito. No cenário base verifica-se que a LGD deve ter um incremento de aproximadamente 15 pontos percentuais (pp). Uma análise de sensibilidade para um amplo intervalo de valores possíveis da LGD mostra que apenas para valores muito elevados - valores em que não há muito mais que um credor possa perder – o incremento deve ser inferior a 10 pp.

 

Para mais detalhes ver Santos (2020): “A relação entre PD e LGD: uma aplicação a uma carteira de empréstimos a empresas”, publicado na Revista de Estudos do Banco de Portugal (Vol. 6, N. 3).

 

Preparado por António Santos. As análises, opiniões e resultados expressos neste espaço são da exclusiva responsabilidade do autor e não coincidem necessariamente com os do Banco de Portugal ou do Eurosistema.

 

Se desejar receber um e-mail quando for publicado um novo “Economia numa imagem” envie o seu pedido para info@bportugal.pt