Está aqui

Economia numa imagem

Economia numa imagem

A pandemia COVID-19 tem implicado quebras muito significativas na atividade das empresas, embora seja visível uma recuperação gradual em maio e junho

03.07.2020

Economia numa imagem: A pandemia COVID-19 tem implicado quebras muito significativas na atividade das empresas, embora seja visível uma recuperação gradual em maio e junho

O impacto económico do novo coronavírus é de difícil quantificação. Com base nos resultados do Inquérito Rápido e Excecional às Empresas (INE e Banco de Portugal), estima-se que, no conjunto dos setores cobertos, o volume de negócios das empresas em abril se tenha situado cerca de 35% abaixo do nível expectável sem pandemia. Mais de metade desta redução esteve associada aos setores do Comércio, Transportes, Alojamento e restauração e Outros serviços, refletindo as restrições durante o estado de emergência, em particular o encerramento de estabelecimentos abertos ao público e as limitações às deslocações e viagens. As medidas de contenção adotadas tiveram também um impacto negativo no pessoal ao serviço efetivamente a trabalhar, estimando-se uma diminuição de 29% em abril face ao nível normal. A nível setorial, as reduções no pessoal ao serviço são em larga medida consistentes com as quebras reportadas da atividade, embora de menor magnitude.

Nos dois meses seguintes – após a cessação do estado de emergência e o início do alívio das medidas de contenção – ter-se-á registado uma melhoria gradual, com a atividade das empresas a apresentar uma redução de 30% em maio e de 22% em junho face a uma situação normal. A melhoria foi generalizada, sendo ligeiramente mais notória nos setores da Indústria e energia e do Comércio. Os sinais de retoma são também percetíveis quando se considera a evolução do pessoal ao serviço efetivamente a trabalhar. 

 

Para mais detalhes consultar a Caixa 2 “Impacto da pandemia sobre as empresas portuguesas – análise com base nos resultados do COVID-IREE” do Boletim Económico do Banco de Portugal de junho de 2020 e Inquérito Rápido e Excecional às Empresas – COVID-19, segunda quinzena de junho de 2020, disponível nos sites do Banco de Portugal e do INE.

 

  

Preparado por Ana Sequeira, Cristina Manteu e Nuno Monteiro. As análises, opiniões e resultados expressos neste espaço são da exclusiva responsabilidade dos autores e não coincidem necessariamente com os do Banco de Portugal ou do Eurosistema.

 

Se desejar receber um e-mail quando for publicado um novo “Economia numa imagem” envie o seu pedido para info@bportugal.pt