Está aqui

Economia numa imagem

Economia numa imagem

O Buffer de Capital Contracíclico estabiliza as flutuações do produto quando o PIB e o crédito se movem na mesma direção

06.12.2019

O principal objetivo do Buffer de Capital Contracíclico (CCyB) consiste em estabelecer buffers de capital adequados nos períodos em que a expansão do crédito é considerada excessiva, de forma a possibilitar a sua redução nos períodos de escassez de crédito. A figura apresenta o desempenho estabilizador do CCyB num modelo de equilíbrio geral. O cenário da simulação é baseado em expectativas excessivamente otimistas sobre algum evento futuro, o que desencadeia uma expansão na economia, seguido por uma reversão dessas mesmas expectativas, o que gera uma recessão subsequente. O caso em análise assenta em expectativas otimistas quanto à evolução do risco empresarial. Neste caso, o crédito e o PIB movem-se na mesma direção.

 

O aumento do buffer durante a fase de expansão do crédito implica uma diminuição mais moderada do spread de taxa de juro comparativamente ao cenário em que não existe CCyB, de modo a que os bancos consigam gerar margens de lucro superiores e reter os ganhos adicionais. Este facto origina um aumento mais moderado do crédito e do produto durante a fase de expansão. A acumulação do buffer permite conter as perdas de crédito do setor bancário durante a fase recessiva. Neste período, a redução do buffer possibilita uma menor severidade das restrições de crédito e um aumento mais contido do spread de taxa de juro. Isto por sua vez amortece o feedback desencadeado pelas perdas do sistema bancário num setor empresarial frágil, diminuindo a magnitude da contração. 

 

Para mais detalhes, ver Paulo Júlio e José R. Maria (2019), “O buffer de capital contracíclico: Uma análise baseada num modelo DSGE”, Revista de Estudos Económicos, Banco de Portugal, Vol. V, pp 49-70.

Preparado por Paulo Júlio e José R. Maria. As análises, opiniões e resultados expressos neste espaço são da exclusiva responsabilidade dos autores e não coincidem necessariamente com os do Banco de Portugal ou do Eurosistema.

 

Se desejar receber um e-mail quando for publicado um novo “Economia numa imagem” envie o seu pedido para info@bportugal.pt.