Está aqui

Economia numa imagem

Economia numa imagem

Entre 1993 e 2008, a maior concorrência das exportações chinesas teve um impacto negativo no emprego e salários dos trabalhadores portugueses nos setores mais expostos

05.04.2019

Entre 1993 e 2008, a maior concorrência das exportações chinesas teve um impacto negativo no emprego e salários dos trabalhadores portugueses nos setores mais expostos

 

O forte crescimento das exportações chinesas pode afetar um determinado país, não só através da intensificação da concorrência no mercado interno, mas também nos mercados externos. Com efeito, no passado recente, os elevados ganhos de quota de mercado de exportação da China em produtos de baixa tecnologia e baixa qualificação, como têxteis, vestuário, calçado e aparelhos elétricos, foram acompanhados de perdas nas quotas de exportação de vários países, incluindo Portugal. 

No período 1993-2008, os trabalhadores portugueses em indústrias mais expostas a esta concorrência indireta da China viram o seu total acumulado de salários e de emprego diminuir relativamente a trabalhadores semelhantes em indústrias menos expostas. Alguns grupos específicos de trabalhadores foram mais atingidos pela concorrência chinesa nos mercados internacionais, nomeadamente mulheres, trabalhadores mais velhos e menos instruídos. Nos últimos anos, os efeitos da concorrência chinesa nos mercados de exportação de países terceiros ter-se-ão tornado mais abrangentes, dada a crescente sofisticação das exportações chinesas, que agora competem em praticamente todos os setores em que operam as economias desenvolvidas. Análises que permitam uma diferenciação dos efeitos do comércio são essenciais para políticas públicas destinadas ao apoio de trabalhadores afetados pela globalização.

Para mais detalhes, ver Sónia Cabral, Pedro S. Martins, João Pereira dos Santos e Mariana Tavares, “Collateral Damage? Labour Market Effects of Competing with China - at Home and Abroad”, Banco de Portugal working paper No. 12/2018, June 2018

Preparado por Sónia Cabral. As análises, opiniões e resultados expressas neste espaço são da exclusiva responsabilidade dos autores e não coincidem necessariamente com as do Banco de Portugal ou do Eurosistema.

 

Se desejar receber um email quando for publicado um novo “Economia numa imagem” envie o seu pedido para info@bportugal.pt.