Está aqui

Economia numa imagem

No primeiro semestre de 2022, a forte criação de emprego e o aumento dos salários beneficiou sobretudo as famílias de menor rendimento

21.10.2022

Economia numa imagem: No primeiro semestre de 2022, a forte criação de emprego e o aumento dos salários beneficiou sobretudo as famílias de menor rendimento

A economia portuguesa está a sofrer uma sobreposição de choques económicos de magnitude considerável e que têm impactos diferenciados no rendimento disponível das famílias, em função das suas características socioeconómicas. Para avaliar estes efeitos partiu-se dos dados do Inquérito à Situação Financeira das Famílias de 2020 e efetuou-se um exercício de simulação em que cada uma das componentes do rendimento varia por família, em magnitudes que refletem as alterações entre os primeiros semestres de 2021 e 2022, assim como as caraterísticas da família.

Segundo este exercício, o crescimento homólogo do rendimento disponível no primeiro semestre de 2022 tem um perfil decrescente com o nível do rendimento disponível por adulto equivalente (ou seja, com o nível do rendimento corrigido da composição do agregado familiar). Em particular, o rendimento disponível do primeiro quintil (grupo de 20% de famílias com rendimentos mais baixos) tem um crescimento bastante mais elevado do que o rendimento dos restantes quintis. O rendimento disponível real do primeiro quintil aumenta 4,5% em termos homólogos no primeiro semestre de 2022, o que contrasta com uma estagnação ou redução no rendimento real nos restantes quintis. A evolução do mercado de trabalho é o elemento crucial que explica esta heterogeneidade na evolução do rendimento. As famílias de níveis de rendimento mais baixo são as que mais beneficiam da forte criação de emprego que ocorreu neste período, assim como do aumento do salário mínimo acima da média do crescimento das remunerações na economia. 

 

Para mais detalhes ver o Tema em destaque “Efeitos distributivos sobre as famílias da evolução económica recente” do Boletim Económico de outubro de 2022 do Banco de Portugal.

 

Preparado por Sónia Costa. As análises, opiniões e resultados expressos neste espaço são da exclusiva responsabilidade da autora e não coincidem necessariamente com os do Banco de Portugal ou do Eurosistema.

 

Se desejar receber um e-mail quando for publicado um novo “Economia numa imagem” envie o seu pedido para info@bportugal.pt.