Está aqui

Economia numa imagem

Economia numa imagem

A intensidade energética é bastante diferenciada entre setores de atividade em Portugal

04.03.2022

Economia numa imagem: A intensidade energética é bastante diferenciada entre setores de atividade em Portugal

A energia é um fator produtivo indispensável e a forma como as empresas o utilizam condiciona fortemente a sua capacidade competitiva. Para empresas de um mesmo setor, quanto menor a sua intensidade energética, ou seja, quanto menor a quantidade de energia consumida por unidade de VAB, melhor será a sua situação, com reflexos positivos em termos da fatura energética agregada e em termos de cumprimento de metas ambientais.

O peso dos gastos com energia face ao VAB nas empresas é uma medida aproximada da sua intensidade energética. As diferenças registadas no rácio médio entre setores de atividade refletem as especificidades setoriais e as decisões das empresas. Se ordenarmos de forma descendente os setores a 2 dígitos da NACE em termos da média do rácio da despesa total com energia no VAB em 2018, observam-se diferenças importantes entre os setores, com ``transporte terrestre'' a apresentar um rácio de 78 por cento, em contraste com as ``atividades de emprego'' e ``tabaco '' com valores médios inferiores a 5 por cento. Se a classificação for construída com base na mediana do rácio no setor, os resultados ficam praticamente inalterados.

 

Para mais detalhes, ver artigo “Mix e intensidade energética em Portugal: Retratos com dados agregados e de empresa”, Revista de Estudos Económicos, volume VIII - nº1.

 

Preparado por João Amador. As análises, opiniões e resultados expressos neste espaço são da exclusiva responsabilidade do autor e não coincidem necessariamente com os do Banco de Portugal ou do Eurosistema.

 

Se desejar receber um e-mail quando for publicado um novo “Economia numa imagem” envie o seu pedido para info@bportugal.pt.