Está aqui

Intervenção de abertura da Administradora Ana Paula Serra na sessão de apresentação do StatFlix

Muito bom dia a todos.

 

Em meu nome, em nome do Conselho de Administração e dos colegas do Banco de Portugal aqui presentes, quero dar-vos as boas vindas à apresentação do StatFlix, um curso de e-learning sobre as principais estatísticas da economia portuguesa e da área do euro. 

Espero que esta intervenção de abertura faça jus à importância desta iniciativa e que as minhas palavras transmitam o entusiasmo que sentimos por termos chegado a bom porto com o StatFlix.

A escolha deste dia para lançar este produto não foi um acaso. Hoje, dia 20 de outubro, celebra-se o dia europeu da estatística, uma data que visa sensibilizar a sociedade para a importância das estatísticas oficiais e da literacia estatística, uma missão que não fica contida nas autoridades estatísticas, pois é abraçada por muitos, em particular por muitos colegas na academia. 

É, por isso, com grande satisfação que escolhemos assinalar este dia com esta iniciativa, ao lado das universidades portuguesas, nossas parceiras nesta missão. 

Nos últimos anos, como muitos dos presentes sabem, o Banco tem apostado e estreitado as suas parcerias com as universidades, através da dinamização de sessões de promoção das estatísticas e de apresentação das ferramentas que o Banco disponibiliza à sociedade. Entre outros, destaco o BPstat, o portal de estatísticas do Banco de Portugal e os Quadros do setor, uma base de dados com informação económica e financeira das empresas em Portugal, a extensão digital da reputada Central de Balanços.

Em 2021, realizámos 20 sessões junto de 18 universidades atingindo um total de 1200 estudantes. Apesar da grandeza destes números, sabíamos que era possível e tínhamos e temos ambição de ir mais longe. Ir mais longe, chegando a mais estudantes, mas também ir mais longe conseguindo passar a nossa mensagem, comunicando com eficácia.

O StatFlix é um passo importante nesse desiderato.

Em primeiro lugar, porque o StatFlix é instrumental na prossecução do plano estratégico que visa concretizar a visão do Banco de Portugal para 2025, de um Banco que está mais próximo da sociedade. 

Essa proximidade consegue-se, nomeadamente, prestando um serviço de excelência, através de uma plataforma acessível e apelativa, entregando estatísticas e informação que vai ao encontro das necessidades dos potenciais utilizadores.

Em segundo lugar porque como não ignoramos que vivemos num mundo de excesso de informação e, em alguns casos, até, de desinformação, sabemos que não basta apenas publicar estatísticas. De facto, é necessário que os utilizadores se sintam capazes e/ou apoiados para conseguir separar a boa da má informação. 

Mas mesmo esta separação pode ser insuficiente. A informação publicada pelas autoridades estatísticas segue conceitos bem definidos e, nesse sentido, constitui boa informação. Mas, é preciso que para além de se consumir boa informação, que esta seja compreendida. 

Desta forma, queremos dotar os nossos utilizadores de ferramentas que lhes permitam compreender os diferentes conceitos e interpretar as estatísticas. Sem isso, a utilização das estatísticas, por mais qualidade que tenham, pode estar sujeita a interpretações erróneas. 

Um terceiro aspeto prende-se com a forma como construímos o StatFlix. Não fizemos este caminho sozinhos. Ouvimos, interagimos, percorremos um caminho juntos nos últimos anos que nos permitiu compreender as necessidades, em termos de conteúdos e formatos. Foi essa experiência que nos permitiu dar o salto para um curso de e-learning sobre estatísticas oficiais. Por isso, muito obrigada pelo precioso feedback que nos deram nos últimos anos.  

Referi no início da minha intervenção a importância de termos ferramentas acessíveis, apelativas para uma geração cuja atenção é dividida por inúmeros estímulos. Por isso, decidimos entrar no mundo dos nossos estudantes levando as nossas estatísticas para as plataformas de streaming. O StatFlix é, assim, uma série original do Banco de Portugal, composta por 6 temporadas que se desenrolam em 30 episódios. São elas: contas nacionais, setor financeiro, administrações públicas, particulares, empresas e resto do mundo. 

Em cada temporada os estudantes terão de se desafiar nos quizzes, aprofundar os principais conceitos e métricas através de vídeos e de flipbooks interativos e ainda escutar podcasts, como iremos mostrar mais à frente nesta sessão.

De referir ainda que o StaFlix está amplamente ancorado no BPstat, garantindo que, independentemente do momento em que o estudante realiza o curso, a atualidade e relevância da informação não é perdida.

Acreditamos que o  StatFlix atingirá os três grandes objetivos a que nos propusemos. No fim desta série os estudantes conseguirão: i) perceber os conceitos subjacentes às estatísticas e como são calculadas, e interpretar as diferentes métricas; ii) usar as estatísticas para ler o mundo, compreendendo como os desenvolvimentos na economia e as decisões que tomamos afetam e estão refletidas nas estatísticas; e iii) saber onde e como encontrar e explorar os números.

Recentemente, numa conferência sobre comunicação estatística, um professor universitário referia-se à comunidade universitária como os “anfitriões” das estatísticas do Banco de Portugal. Não só por serem utilizadores privilegiados, mas também porque ao utilizá-las para produzir conhecimento, lhes conferem, de certa forma, um efeito multiplicador. Se conseguirmos isso, com esta rede, o conhecimento será difundido muito para além do alcance do Banco de Portugal. Não temos qualquer dúvida que as universidades são e serão sempre um dos nossos parceiros mais importantes, verdadeiros embaixadoras das nossas estatísticas.

Termino, reforçando o que referi no início da minha intervenção: o StatFlix constitui para o Banco um marco muito importante em termos de promoção da literacia estatística e de serviço prestado à sociedade. 

Esperamos que constitua também um marco importante na dinâmica das vossas universidades, ao permitir dotar os vossos estudantes de um conjunto de competências e conhecimentos fundamentais a qualquer futuro economista ou gestor. 

Por isso encorajo-vos fortemente a incluírem o StatFlix nos currículos formativos dos vossos programas de licenciatura ou mestrado, seja em disciplinas mais específicas como as relacionadas com a economia portuguesa ou a macroeconomia, seja num módulo autónomo valorizado com créditos para os vossos estudantes.

Termino agradecendo à equipa do Banco de Portugal que conduziu esta expedição e, de novo, a todos a vossa presença nesta sessão.