Está aqui

Resultados do inquérito aos bancos sobre o mercado de crédito na área do euro realizado em janeiro de 2018

  • O crescimento dos empréstimos continuou a ser suportado pelo aumento da procura em todas as categorias de empréstimos.
  • Os critérios de concessão de crédito mantiveram-se praticamente inalterados nos empréstimos às empresas e no crédito ao consumo, embora tenham continuado a perder restritividade no caso dos empréstimos para aquisição de habitação.
  • A restritividade dos termos e condições aplicados aos empréstimos às empresas e para aquisição de habitação reduziu-se.
  • Os bancos continuaram a reforçar as respetivas posições de capital em resposta a atividades regulamentares e de supervisão.

De acordo com o inquérito aos bancos sobre o mercado de crédito realizado em janeiro de 2018, os critérios de concessão de crédito (ou seja, as orientações internas ou critérios de aprovação de empréstimos dos bancos) relativamente a empréstimos às empresas permaneceram inalterados no quarto trimestre de 2017 (percentagem líquida de bancos inquiridos de 0%, após  1% no trimestre anterior), em linha com as expetativas na anterior ronda do inquérito. Em contraste, a restritividade dos critérios de concessão de empréstimos às famílias para aquisição de habitação continuou a diminuir (percentagem líquida de bancos inquiridos de -6%, após -11% no trimestre anterior), a um ritmo superior ao esperado na anterior ronda. Os critérios de concessão de crédito ao consumo e outros empréstimos às famílias mantiveram-se praticamente inalterados (-1%, após -4%), não obstante expetativas na anterior ronda do inquérito de que estes continuariam a perder restritividade. Nos três segmentos, as pressões concorrenciais e a perceção do risco por parte dos bancos tiveram um impacto atenuador sobre os critérios de concessão de crédito, enquanto os efeitos da tolerância do risco pelos bancos e do custo do financiamento e restrições de balanço foram globalmente neutros. Relativamente ao primeiro trimestre de 2018, os bancos preveem uma menor restritividade líquida dos critérios aplicados à concessão de crédito nos três segmentos (empréstimos às empresas: -4%; empréstimos para aquisição de habitação: -10%; crédito ao consumo: -7%).

Os termos e condições gerais aplicados pelos bancos (ou seja, os termos e condições efetivos acordados no contrato de crédito) aos novos empréstimos continuaram a perder restritividade no caso dos empréstimos às empresas e dos empréstimos às famílias para aquisição de habitação, continuando a ser impulsionados pela redução dos spreads dos empréstimos médios. Os termos e condições gerais mantiveram-se globalmente inalterados para o crédito ao consumo e outros empréstimos às famílias. Neste segmento, os spreads dos empréstimos médios continuaram a reduzir-se, enquanto os spreads dos empréstimos de maior risco aumentaram ligeiramente.

A procura líquida continuou a aumentar em todas as categorias de empréstimos no quarto trimestre de 2017. O aumento da procura de empréstimos às empresas foi impulsionado sobretudo pelo investimento fixo, pelo nível geral das taxas de juro, pelas existências e fundos de maneio, e pela atividade de fusões e aquisições. A procura líquida de empréstimos para aquisição de habitação continuou a ser impulsionada principalmente pelo nível geral baixo das taxas de juro e por perspetivas favoráveis para o mercado da habitação, bem como pela confiança dos consumidores. As despesas em bens duradouros, o nível geral baixo das taxas de juro e a confiança dos consumidores deram novo contributo positivo para a procura líquida de crédito ao consumo.

Os bancos da área do euro continuaram a adaptar-se às atividades regulamentares e de supervisão no segundo semestre de 2017, através de novo reforço das respetivas posições de capital. A nível da área do euro, os bancos reportaram um impacto globalmente neutro das atividades regulamentares e de supervisão sobre os critérios de concessão de crédito em todas as categorias de empréstimos, à exceção do crédito ao consumo e outros empréstimos às famílias, onde tiveram um ligeiro efeito de aumento da restritividade. As atividades de supervisão reduziram os spreads dos empréstimos às empresas, tiveram um impacto globalmente neutro sobre os empréstimos para aquisição de habitação e aumentaram os spreads do crédito ao consumo.

 

O inquérito aos bancos sobre o mercado de crédito, realizado quatro vezes por ano, foi desenvolvido pelo Eurosistema com o objetivo de melhorar a compreensão sobre o comportamento do crédito bancário na área do euro. Os resultados do inquérito realizado em janeiro de 2018 referem-se a alterações no quarto trimestre de 2017 e a expetativas de alterações no primeiro trimestre de 2018, salvo indicação em contrário. O inquérito aos bancos sobre o mercado de crédito realizado em janeiro de 2018 teve lugar entre 1 de dezembro de 2017 e 2 de janeiro de 2018. 143 bancos participaram no inquérito, com uma taxa de resposta de 100%.

  

Para resposta a eventuais perguntas dos meios de comunicação social, contactar Stefan Ruhkamp (tel.: +49 69 1344 5057).

Notas:

  • As séries de dados nacionais e da área do euro encontram-se disponíveis no sítio do BCE, através do serviço de divulgação de estatísticas online do BCE, o Statistical Data Warehouse. O inquérito encontra-se disponível no sítio do BCE, em Statistics › ECB surveys › Bank lending survey. 
  • As séries de dados detalhados para os resultados agregados da área do euro encontram-se disponíveis no sítio do BCE, através do serviço de divulgação de estatísticas online do BCE, o Statistical Data Warehouse. Os resultados nacionais publicados pelos respetivos bancos centrais nacionais também podem ser consultados através da secção Inquérito aos bancos sobre o mercado de crédito, no sítio principal do BCE.
  • Para mais informações sobre o inquérito aos bancos sobre o mercado de crédito, ver Köhler-Ulbrich, P., Hempell, H. e Scopel, S., The euro area bank lending survey, Série de Documento Ocasionais do BCE, n.º 179, 2016.