Está aqui

Moedas de coleção. “Lobo-ibérico” e “Alcar-do-Algarve” entram em circulação a 29 de maio

O Banco de Portugal colocará em circulação, no dia 29 de maio de 2019, duas moedas de coleção, as quais apenas têm poder liberatório em Portugal:

  • Uma moeda em liga de cuproníquel com o valor facial de €5, designada «Lobo-ibérico», integrada na série intitulada «Espécies de animais ameaçados».
  • Uma moeda em liga de cuproníquel com o valor facial de €5, designada «Alcar-do-Algarve», integrada na série sobre «Espécies de plantas ameaçadas».

 A distribuição das moedas ao público será efetuada através das instituições de crédito e das tesourarias do Banco de Portugal.

A moeda «Lobo-ibérico»

A moeda «Lobo-ibérico», para a qual foi definido o limite de emissão de 40 000 moedas com acabamento normal, apresenta:

No anverso: 

  • A representação de uma fêmea a alimentar as suas crias, simbolizando o lado afetivo da vida dos lobos, e:
  • No quadrante superior direito, o escudo de armas e o valor facial;
  • Na orla superior, e também do lado mais à direita, as legendas “Portugal 2019”, “INCM” e a indicação do autor.

No reverso: 

  • Ocupando todo o campo central, a representação em grande plano da cabeça do Lobo, a qual está orlada, em cima e à direita, pelas legendas “Lobo-ibérico” e “Canis lupus”.
A moeda «Alcar-do-Algarve»

A moeda «Alcar-do-Algarve», para a qual também foi definido o limite de emissão de 40 000 moedas com acabamento normal, apresenta:

No anverso: 

  • A representação de alguns pés da planta em flor, em botão e com folhas, e:
  • Na orla esquerda, a legenda “Portugal 2019”;
  • Do lado direito, o valor facial e o escudo de armas”.

No reverso: 

  • No campo central, a flor aberta, no meio de outras flores e plantas, que está orlada pelas seguintes legendas:
  • No quadrante superior esquerdo, “alcar-do-algarve” e “Tuberaria major Willk”;
  • No quadrante inferior direito, a indicação do autor e a legenda “INCM”.

 

As caraterísticas destas moedas foram aprovadas pela Portaria n.º 15/2019, publicada no Diário da República, 1.ª série – N.º 10, de 15 de janeiro.


Nota:

O Banco de Portugal vende ao público, exclusivamente nos seus balcões de tesouraria, moeda de coleção (apenas com acabamento normal). 

O interessado deve preencher um impresso próprio, onde se identifica e discrimina, por designação e valor facial, a quantidade de moeda de coleção que pretende adquirir. 

O Banco de Portugal não efetua reservas de moeda nem as remete pelo correio.