Está aqui

Gondomar de ouro também na educação financeira

A Escola Básica de Jovim e Foz do Sousa recebeu da Vice-Governadora do Banco de Portugal, Elisa Ferreira, o prémio do Concurso Todos Contam, que distingue os melhores projetos de educação financeira das escolas portuguesas.

É em Jovim, vila do concelho de Gondomar, que encontramos a escola vencedora da 7.ª edição do Concurso Todos Contam na categoria do 3.º ciclo do ensino básico. Na verdade, é uma escola repetente no prémio que os supervisores financeiros atribuem, anualmente, aos melhores projetos de educação financeira do País. “Às vezes, ser-se repetente não é mau”, brinca Fernanda Santos, professora de matemática e coordenadora do projeto premiado pelo Conselho Nacional de Supervisores Financeiros e pelo Ministério da Educação.

A Escola Básica de Jovim e Foz do Sousa concorreu, pela primeira vez, ao Todos Contam no ano letivo 2017/2018. Não esperava ganhar, por ser o ano de estreia, mas acabou por ser considerada a melhor de entre todas as escolas a concurso no 3.º ciclo do ensino básico. Um feito que agora repetiu.

No dia 28 de fevereiro, a escola recebeu da Vice-Governadora do Banco de Portugal, Elisa Ferreira, o prémio do Concurso Todos Contam, numa sessão que contou com a presença da Presidente da Comissão de Coordenação do Plano Nacional de Formação Financeira, Lúcia Leitão, e de representantes da Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões, da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários e da Direção-Geral da Educação.

Com o apoio da Direção do Agrupamento de Escolas n.º 1 de Gondomar, Fernanda Santos conseguiu mobilizar alunos, pais e professores para um conjunto de iniciativas destinadas a sensibilizar a comunidade para a importância da poupança e do consumo informado. Entre outras ações, o projeto incluiu a comemoração do Dia Mundial da Poupança, do Dia Sem Compras, do Dia do Gondo_Fin (a mascote do projeto, criada pelos alunos) e a adesão à Global Money Week, a mais conhecida campanha internacional de literacia financeira, coordenada pela Child and Youth Finance International.

 “É para mim muito emocionante ver uma comunidade tão rica, que tem professores que se envolvem desta maneira e que tem pais que são capazes de participar de uma forma tão ativa. (…) Todos estão a fazer coisas para além do que tinham de fazer, toda a gente se ultrapassou”, enalteceu a Vice-Governadora do Banco de Portugal, Elisa Ferreira, na cerimónia de entrega do prémio, que decorreu na Escola Secundária de Gondomar, sede do agrupamento.

Na sessão, Elisa Ferreira explicou que o trabalho de supervisão é importante para que as instituições financeiras não faltem aos compromissos que assumiram perante os seus clientes, mas não é suficiente: os cidadãos têm de ter conhecimentos financeiros que lhes permitam identificar os riscos a que estão expostos. E, por isso, os supervisores também estão empenhados em promover os conhecimentos financeiros da população, apoiando as escolas que pretendam fazer trabalho nesta área.

A Vice-Governadora recordou, a este propósito, a campanha de educação financeira lançada pelo Banco de Portugal no início do ano letivo – a campanha “#ficaadica – que explica como é que os jovens podem utilizar em segurança os canais digitais (computadores, tablets e smartphones), protegendo-se de eventuais situações de fraude financeira e sobre-endividamento. “São estas questões que neste momento atravessam o nosso quotidiano. Um quotidiano que parece muito mais fácil, mas no qual, se não formos cidadãos instruídos, alertados e conscientes, podemos cair em situações que condicionam a nossa vida por muitos anos, às vezes, para sempre”, resumiu Elisa Ferreira.

Sobre o Concurso Todos Contam

O Concurso Todos Contam distingue, anualmente, os melhores projetos de educação financeira das escolas portuguesas. É promovido pelo Conselho Nacional de Supervisores Financeiros (Banco de Portugal, Comissão do Mercado de Valores Mobiliários e Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões) com o Ministério da Educação, através da Direção-Geral da Educação e da Agência Nacional para a Qualificação e o Ensino Profissional.

À 7.ª edição do Concurso Todos Contam candidataram-se 53 projetos de 91 escolas da maioria dos distritos de Portugal Continental e também da Região Autónoma da Madeira, abrangendo um total de mais de 10 mil alunos.