Está aqui

COVID-19. Evolução das moratórias de crédito – setembro de 2020

As instituições estão obrigadas a comunicar ao Banco de Portugal informação sobre a implementação da moratória pública (criada pelo Decreto-Lei n.º 10-J/2020) e das moratórias privadas a que tenham aderido ao abrigo das Orientações da Autoridade Bancária Europeia.

Com base na informação reportada pelas instituições, o Banco de Portugal divulga regularmente dados sobre a evolução das moratórias de crédito. Estes dados são da responsabilidade das instituições e estão sujeitos a revisões em função da conclusão dos processos de apreciação dos pedidos de adesão e da sua classificação pelas instituições.

 

Dados da evolução das moratórias de crédito até 30 de setembro de 2020

Até 30 de setembro, data em que terminou o prazo para os clientes bancários solicitarem o acesso à moratória pública, os pedidos de adesão a moratórias de crédito abrangeram 812 214 contratos. Até essa data, as instituições aplicaram as medidas de apoio previstas nas moratórias de crédito a 751 725 contratos, correspondendo os restantes 60 489 contratos a situações que estavam ainda em apreciação ou que não preencheram as condições de acesso.

Dos contratos de crédito aos quais foram aplicadas as medidas de apoio previstas nas moratórias, 42% eram contratos de crédito à habitação e outros créditos hipotecários (317 606). Foram ainda aplicadas medidas de apoio a contratos de crédito aos consumidores (217 787) e a contratos de crédito celebrados com empresas, empresários em nome individual (ENI) e outros (216 332).

A 30 de setembro de 2020, os contratos de crédito celebrados com consumidores (famílias) representavam a maioria das operações de crédito que beneficiaram das moratórias (71%), sendo as demais operações relativas a empréstimos concedidos a empresas, ENI e outros (29%).

COVID-19. Evolução das moratórias de crédito – setembro de 2020