Está aqui

Comunicado do Banco de Portugal sobre a implementação da política monetária em 2018

O Banco de Portugal publica hoje o Relatório da Implementação da Política Monetária. O relatório descreve a atuação do Banco de Portugal na implementação da política monetária do Eurosistema durante o ano de 2018. 

Adicionalmente, o relatório inclui análises específicas relativamente a quatro tópicos: os 20 anos do euro e da política monetária única, o quadro de ativos de garantia, a fase de reinvestimentos do programa de compra de ativos (APP, na sigla inglesa) e a plataforma de reporte estatístico do mercado monetário da área do euro.

No final de 2018, as instituições de crédito portuguesas detinham 18,7 mil milhões de euros em refinanciamento do Eurosistema, menos 15,4% do que no final de 2017.

Em 2018, o Conselho do Banco Central Europeu (BCE) manteve as taxas de juro oficiais nos níveis que vigoram desde março de 2016: em 0% nas operações principais de refinanciamento; em 0,25% na facilidade permanente de cedência de liquidez; e em -0,4% na facilidade de depósito. 

No final de 2018, as instituições de crédito portuguesas detinham um montante total de 18,7 mil milhões de euros no âmbito das operações de política monetária de cedência de liquidez do Eurosistema, menos 15,4% do que no final de 2017. Este montante tinha sido obtido junto do Banco de Portugal quase exclusivamente em operações de refinanciamento de prazo alargado direcionadas (TLTRO, na sigla inglesa). O recurso das instituições portuguesas à facilidade de depósito foi residual, pelo que o saldo da cedência líquida também totalizava 18,7 mil milhões de euros.

Na área do euro, o valor detido pelas contrapartes em refinanciamento do Eurosistema também diminuiu no mesmo período (3,9%), passando de 764,5 mil milhões de euros, no final de 2017, para 734,4 mil milhões de euros, no final de 2018. A cedência líquida do recurso à facilidade de depósito situava-se em 110,9 mil milhões de euros, o que representa um aumento de 61,8% relativamente ao ano anterior.

No quarto trimestre de 2018, o montante total de ativos de garantia entregues ao Banco de Portugal para as operações de cedência de liquidez e crédito intradiário do Eurosistema totalizou, em média, 50 mil milhões de euros, um valor idêntico ao registado no último trimestre de 2017.

Na área do euro, o montante total dos ativos de garantia utilizados pelas contrapartes ascendeu, em média, a 1560 mil milhões de euros no último trimestre de 2018, o que representa um decréscimo de 6% em relação ao período homólogo do ano anterior.

O valor dos ativos adquiridos pelo Banco de Portugal nos programas de compras do Eurosistema ascendia a 50,3 mil milhões de euros no final de 2018. Estes programas foram implementados para proporcionar estímulo monetário à economia da área do euro e, desta forma, contribuir para o regresso a taxas de inflação compatíveis com o objetivo de estabilidade de preços.

Nos primeiros três trimestres de 2018 foram adquiridos pelo Eurosistema no âmbito do APP, em média, 30 mil milhões de euros de ativos por mês. A partir de outubro, o ritmo mensal das aquisições líquidas de ativos reduziu-se para 15 mil milhões de euros. Em dezembro de 2018, o Conselho do BCE decidiu cessar as compras líquidas de ativos no âmbito do APP, mas anunciou que reinvestiria na totalidade os pagamentos de capital dos títulos vincendos adquiridos no âmbito deste programa durante um período prolongado após a subida das taxas de juro oficiais e, em qualquer caso, enquanto for necessário para manter condições de liquidez favoráveis e um nível amplo de acomodação monetária.

No final de 2018, a carteira de títulos adquiridos pelo Banco de Portugal no âmbito do APP (de acordo com o custo de aquisição) totalizava cerca de 50,3 mil milhões de euros: 46,6 mil milhões de euros correspondiam a títulos adquiridos no programa de compra de ativos do setor público (PSPP) e 3,7 mil milhões de euros a títulos comprados no terceiro programa de aquisição de obrigações hipotecárias (CBPP3). A este montante acresciam títulos no valor de 1,8 mil milhões de euros, adquiridos em programas concluídos nos anos anteriores (CBPP1, CBPP2 e programa dos mercados de títulos de dívida – SMP).

Os balanços do Banco de Portugal e do Eurosistema voltaram a atingir máximos históricos no final de 2018, refletindo as compras de títulos no âmbito do APP. O balanço do Banco de Portugal aumentou 3% em 2018, para 157 mil milhões de euros, e o balanço do Eurosistema cresceu cerca de 5%, para 4700 mil milhões de euros. Em termos de composição, verificou se, tanto em Portugal como no Eurosistema, do lado do ativo, um aumento do peso dos títulos adquiridos através dos programas de compra de ativos, em detrimento do peso das operações reversíveis de política monetária. 

Em Portugal, o excesso de liquidez (que inclui o valor depositado pelas instituições de crédito nas contas que detêm no Banco de Portugal acima das reservas mínimas e o recurso à facilidade permanente de depósito, líquido do recurso à facilidade permanente de cedência de liquidez) foi, no final do ano, de cerca de 10 mil milhões de euros, um valor idêntico ao observado no final de 2017. 

O montante total transacionado pelas instituições portuguesas no mercado monetário interbancário decresceu 9% em 2018, para cerca de 80 mil milhões de euros, prosseguindo a tendência de anos anteriores. A atividade do mercado sem garantia aumentou 44% em relação ao período homólogo, embora os segmentos de derivados OTC e com garantia tenham continuado a ser os mais transacionados pelas instituições portuguesas.